Top Menu

Games | Hunt: Showdown


O estilo de jogo "Battle Royale" vem tomando conta do mercado de jogos desde o último ano, devido a acensão dos gigantes, Fortnite e Playerunknown's Battlegrounds. Porém nem tudo são flores, o gênero é algo que se torna repetitivo e massivo para o jogador após longas horas de jogatina, mas atualmente é um dos poucos gêneros que estão sendo vendidos, é difícil se achar escapatórias para eles.
Hunt: Showdown é de fato inovador, com gráficos belíssimos, uma proposta imensa que se depender dos desenvolvedores irá crescer cada vez mais, mas peca em apresentar diversidade para os jogadores, para que com isso passem mais de 3 horas jogando e não se sintam cansados. No Revisando o Game de hoje vamos apresentar um pouco mais sobre ele, que atualmente se encontra em Early Acess na Steam.

Inovador, mas olhe lá

Com o mercado de jogos saturado da mesmice, Hunt: Showdown propõe uma temática bem diferente do que vemos. Você, como jogador, pode escolher um Hunter (caçador) para adentrar um mapa, razoavelmente grande, com um parceiro ao seu lado, ou então apenas você. Como variação de personagem o jogo oferece 4 Hunters diferentes, esses que ficam em modo rotativo, já que caso você não ganhe a partida e acabe morrendo perde o Hunter com que se estava e precisa contratar outro caçador comprando-o com moedas do jogo. Nesse mesmo mapa são colocadas mais 9 duplas, ou jogadores sozinhos, que possuem o único dever de capturar o chefão da partida, esse que pode ser uma aranha com poder especial de ser rápida, apelida de Spider, ou então um porco-açougueiro que consegue incendiar o alvo, esse chamado de Butcher.
Quando você entra no jogo, após a tela de carregamento, você nasce em um local que pode ser selecionado antes de começar a partida, ao clicar na tecla "E" tudo a sua volta fica cinza e apenas alguns espectros em azul ficam chamativos em sua tela, lá estão os centros de invocação você precisa encontrar 3 deles para que obtenha-se pistas sobre onde está o spawn da Spider ou do Butcher, dito antes a você através da interface. A magia está bem aqui, para se encontrar os pontos se precisa percorrer longos caminhos de área aberta, com monstro que podem ou não lhe atacar, mas que o objetivo principal são os outros jogadores que podem te encontrar e assim lhe matar. Após os 3 pontos de invocação serem capturados é possível se observar no mapa a localização exata do chefão, indo até ele você precisa matá-lo e por fim fazer o ritual de banimento, que acompanha uma barra de porcentagem que dura por volta de 1 minuto e 30 segundos, é preciso ficar de olho se nenhum inimigo vem tentar sabotá-lo, já que ao obter 100% o local do monstro é revelado para todos da partida e ele dropa 2 - ou 1, caso você não esteja em dupla - relíquias, sua missão é pega-la e ir até uma das saídas sinalizadas no mapa, sem que ninguém lhe mate e roube-a de você, após chegar nelas a partida é ganha por você.

Tinha tudo para ser ótimo, mas é razoável

Jogamos o jogo em que ele estava de graça durante o final de semana na Steam, depois da primeira partida pensamos "Nossa, esse vai ser o dinheiro mais bem gasto da minha vida", após 3 horas de jogatina nos dissemos "É, zeramos?".
A mecânica tem como objetivo ser simples, mas peca sendo confusa a primeira vista. Os botões são os poucos, e já padrões, W, A, S, D para se movimentar, 1, 2, 3, 4, 5 para mudar as armas, botão direito do mouse para mirar e botão esquerdo do mouse para bater com a arma no inimigo, aqui mora o problema, você não pode simplesmente clicar no esquerdo e atirar no inimigo, você precisa mirar com o direito e por fim pressionar o direito, só assim é possível atirar, as configuração ainda são bem limitadas, mas tudo bem, é um Early Acess. Esse é um ponto negativo já que é muito diferente dos outros jogos que mexem com armas, mas ainda não é o grande problema do jogo.
Para se iniciar uma partida é preciso um contrato, que lhe da o monstro que deve ser matado e a dificuldade dele. No servidor da América do Sul só se está disponível um contrato, esse que lhe permite matar ou a Spider ou o Butcher, caso você se diga "Ah, eu mudo de servidor tranquilamente"; bem, o servidor da Ásia só conta com 3 contratos, e o servidor dos Estados Unidos Leste conta com 2, todos iguais. Você irá passar todo o jogo apenas matando a Spider ou Butcher, exatamente durante toda a sua jogatina, não existem outros chefões, ou até mesmo outros modos, é sempre esses dois, dirianos até que é um Battle Royale não assumido, já que a única vantagem de avançar de nível é ganhar, ou poder comprar, armas novas, e assim matar os inimigos mais facilmente.

Cumpre o que promete

Os desenvolvedores propuseram um jogo totalmente imersivo, com sons reais e bichos que assustassem, e sim, conseguiram. Muitas vezes nós estávamos andando e escutando barulhos de vidros, bem reais, e eramos nós andando em cima de cacos de vidro, batemos diversas vezes em correntes que chamaram a atenção dos monstros, e assumimos, o áudio era de cinema, contando com um sistema binaural. A história ainda é pouco explorada, é possível ver a aba "Livros" na tela inicial do jogo, mas nela você encontra 3 livros nada a ver com a história, um com os créditos do jogo, outro com as licenças de software e de fontes usadas no jogo, e outro com, literalmente, regras, uma espécie de termos de uso. Pensamos nós que, poderia ser mais explorado, poderia ter um livro falando sobre "Regras de Caçador" por exemplo.

"É um ótimo jogo, mas para ser jogado por pouco tempo"

Nota: 5.5/10.0


Valor bruto: R$55,99

Postar um comentário

Copyright © Sons of Series. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018