Top Menu

Cinema | Higher Power (2018)



Assisti completamente despretensioso o filme que saiu esse ano de fantasia e de ficção científica e, para quem não esperava nada, fiquei chocado com o quão decepcionado o filme me deixou.
Em poucas palavras para expressar minha percepção dessa obra, só posso dizer uma coisa: furos de roteiro.

Nessa história acompanhamos um pescador alcoólatra que perdeu a esposa para uma doença genérica, que posso inferir ter sido câncer ou leucemia – por conta da estética da personagem – e passou perder o controle em acessos de raiva, o que o afasta das duas filhas. As filhas sentem raiva do pai por não estar presente para elas, durante esse período de luto, visto que ele mesmo estava tão profundamente afundado no próprio luto e em sua compulsão pelo alívio trazido pelo álcool.
Em paralelo a isso, um raio de energia concentrada de uma estrela colapsando em outra galáxia está vindo em direção a Terra e toda a vida no planeta irá se extinguir.

O governo americano descobre que esse pescador em luto é compatível com um projeto do governo de salvar a Terra da destruição iminente, e mesmo o governo havendo considerado o projeto perigoso demais e o tendo descontinuado, um grupo dissidente decide prosseguir assim mesmo e sequestram o personagem principal para tentar salvar a todos.

O filme em si, é relativamente interessante de se assistir, como um pipocão genérico na Tela Quente, ou algo do gênero, mas a obra em si não se mantêm como estrutura narrativa, uma vez que não explica como descobriram que o Joseph (Ron Eldard) era compatível com o programa, ou qual a lógica entre associarem a raiva e a ansiedade dele em poderem alá X-Men, ou porque um momento de estresse forte o bastante o transformaria em um deus bizarro e ultrapoderoso que simples e meramente absorveu e englobou o planeta, não salvando ninguém, tirando as duas filhas! Qual era a lógica dessas pessoas? Que um deus seria capaz de criar a vida de novo depois da destruição do raio espacial bizarro? Que ele teria força o bastante de refletir ou absorver o raio? Qual era o end game deles? Nada faz muito sentido nesse filme.

Eu entendo que dirão que há de se ter um certo nível de suspensão de descrença quando se assiste a uma ficção, e eu concordo 100%, mas para tudo há um limite! É um filme de ficção científica aonde a ciência não empolga, os personagens são rasos e acabo por não me importar com nenhum deles, a ameaça não é ameaçadora, porque passei o filme inteiro me questionando se eles é que não eram loucos e apocalípticos, já que o cara foi na TV falar “vamos todos morrer” e o resto do mundo inteiro parecia seguir com suas vidinhas normais, trabalhando, indo no La Mole e vendo Domingão do Faustão.

No fim, esse filme mereceu a nota baixa que recebeu no imdb, mas, caso você queira ver um show de luzes e poderzinhos, pode se deliciar com essa obra.


Postar um comentário

Copyright © Sons of Series. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018